Destaque (Ed. 660)

Nasce a Rota do Pastel de Vouzella

Para a promoção do doce e do concelho

Nasce a Rota do Pastel de Vouzella

• Patrícia Fernandes

Ed660_RotaPastel_IMG_1134O Pastel de Vouzela tem agora uma Rota. Um convite para conhecer a Vila, mas também, para ficar a saber tudo sobre o doce conventual que mais caracteriza o concelho e cuja receita continua tão bem guardada.  Uma iniciativa privada, liderada pela Casa Museu, uma Hospedaria de Charme, que contou com o apoio do Município de Vouzela.  A inauguração foi há cerca de um mês e, para já,  o balanço é muito positivo.  Em conversa com a Gazeta da Beira, Celeste Carvalho fala-nos do projeto e da importância da Rota para a dinamização turística do concelho.

 

Largo do Convento; Estação; Capela de S. Frei Gil… no total são 12 as estações que compõem a Rota do Pastel de Vouzella. Quem percorrer o traçado, fica a conhecer mais sobre o sabor autêntico do pastel, a sua história e tradição. Um novo atrativo para uma vila cujo turismo é uma das grandes apostas. “Os pastéis de Vouzela são confecionados na Vila, há quase duzentos anos, portanto, penso que lhe temos que dar a importância que eles merecem”, justifica Celeste Carvalho. Os objetivos são claros, “promover o património cultural de Vouzela, divulgar a doçaria conventual e regional e toda a gastronomia da Região de Lafões, nomeadamente, a promoção do Pastel de Vouzela, a nível Nacional sem exclui a hipótese da internacionalização, pois na Rotas podem ser incluídas refeições, como o almoço ou o jantar, dependendo da disponibilidade dos grupos”, acrescenta a promotora.

A Rota foi inaugurada há cerca de um mês e para já o balanço é muito positivo, “quase todos os hóspedes da Casa Museu e também turistas, dão conta que existe um projeto turístico inovador em Vouzela. As pessoas mostram interesse em conhecer a Rota e como funciona, para numa próxima visita virem preparados para fazer”.

A história por detrás do pastéis e a promoção turística

Como defendeu Rui Ladeira, aquando da inauguração, este nova Rota configura uma importante “afirmação turística de um produto diferenciador e com dimensão, em Vouzela e no país”. Na realidade, por detrás desta Rota, está um passeio estratégico pelos locais mais emblemáticos de Vouzela, “as Igrejas (desde século XII a século XVIII ) as pontes, de caminhos de ferro e ponte romana, o rio Zela, a paisagem natural e todas as casas onde se confecionaram e confecionam os pastéis de Vouzela. Na Rota destaco ainda as casas de arquitetura judia na Rua da Ponte”, indica Celeste Carvalho.Há também referência a uma história de 200 anos que poucos sabem contar, “a cereja no topo do bolo, pois dá a conhecer todas as casas e as famílias que confecionaram os pastéis desde o século XIX até aos dias de hoje”. Celeste Carvalho dá um cheirinho da história: “Um pastel de origem Conventual, do Convento de Santa Clara do Porto, trazido para Vouzela pelas mãos de duas freiras, familiares das irmãs Cardosas. Foi nesta Casa da família de João Cardoso Figueiredo, ponto nº2 da Rota, que toda a história começou. As freiras ensinaram o segredo a algumas das nove irmãs Cardosas, e elas por sua vez foram ensinando algumas pessoas da Vila; ou porque lhes deviam favores ou por algum motivo mais forte, pois elas queriam o segredo só para elas, situação que permanece ainda nos dias de hoje. Ao longo de todos estes anos sempre coincidiram dois ou três produtores de Pastéis de Vouzela ao mesmo tempo, no início confecionados pelas mão de senhoras, hoje pelas mãos dos homens. Neste momento temos uma Associação que inclui os três produtores de Pasteis de Vouzela: Terezinha Castanheira, Fernando Cardoso e Vítor Correia conjuntamente com o seu irmão Miguel Correia. Todos eles são mestres na confeção dos Pastéis de Vouzela, a sua requintada qualidade faz deles presentes de eleição, funcionando como símbolo da terra e da sua arte gastronómica”.

A Rota do Pastel de Vouzella, como fazer?

A Rota do Pastel de Vouzella é um percurso composto por 12 estações e tem uma duração, a pé, de cerca de uma hora e meia. Sempre que consegue reunir um grupo mínimo de quatro interessados, a Casa Museu faz a Rota. Por pessoa o valor é de 10 euros por pessoa. A Rota termina, sempre, na Casa Museu com a degustação do Pastel de Vouzela.

A Rota está a ser divulgada pela Casa Museu, pelo Posto de Turismo de Vouzela, através do facebook e por pacotes turísticos como Udisseias, Lifecooler e outras empresas especializadas na promoção de eventos turísticos.

No próximo dia 20, está a ser preparada uma Rota, À semelhança do que aconteceu no dia da inauguração, esta edição vai também contar com a participação de Morais Carvalho interpretado por Pedro Giestas e a sua mulher, interpretação de Celeste Carvalho. Estão abertas as inscrições, cada inscrição tem o valor de 15€. Para se realizar, a Rota têm o mínimo estabelecido de 10 participante Os interessados podem inscrever-se a partir dos seguintes contactos:

————————

Casa Museu, rua Ribeiro Cardoso, nº6

3770-031 Vouzela

232 771 514

info@casamuseu.com

www.casamuseu.com

—————————————————————————————————————————-

Mais artigos

• Nasce um novo projeto de Teatro em Lafões
CLDS+ apresenta principais linhas de intervenção
Advogado faleceu no passado dia 20, com 83 anos
Vinho Chão do Vale conta com 24 mil litros e quer aumentar a produção
A gastronomia: história, autenticidade e progresso
A Rainha de Valadares
Projeto universitário aproximou a arte dos reclusos
• O homem atrás da câmara
Vitela certificada, uma aposta na qualidade
Pastel de Vouzela – Vouzelenses querem salvaguardar as origens dos seus produtos
Cantigas com alma
Bolsa de terras um exemplo de sucesso
Um retrato de Sever do Vouga
Centro de Emprego Dão Lafões têm novo director adjunto
Concerto de Natal memorável, muito aplaudido pela população

Redação Gazeta da Beira