cialis generika kamagra australia cialis bestellen levitra generika viagra online kaufen kamagra bestellen cialis generika kamagra oral jelly kamagra 100mg prix cialis cialis generique kamagra gel kamagra bestellen viagra bestellen kamagra oral jelly levitra kopen
viagra Levitra Soft Tabs Kamagra Fizzy Tabs Acquistare Viagra Soft Tabs Viagra Generic Test Pacchetti Originale Acquistare Levitra Strips Il brevetto Viagra Cialis e Super Kamagra Acquistare Cialis Strips Viagra Pastiglie Viagra e Disfunzione Erettile priligy dapoxetina generico Kamagra 100 Cialis online Levitra Generico Domande e Risposte sul Viagra Test pacchetti Propecia generico Acquistare Cialis Soft Tabs Viagra e generici Levitra Cialis Generico Lovegra Super Kamagra Viagra femminile Acquistare Test Pacchetto Generico LIDA Dai dai hua Cialis Pastiglie Acquistare Super Kamagra Cialis Generico Viagra online

António Moniz de Palme

Crónicas

As empresas públicas de comunicação social e os finórios que as servem

Uma nova faceta da corrupção!!!

Não há semana em que não apareçam a circular, na “net”, lista de escandalosos vencimentos de realizadores, de entrevistadores e de outros técnicos dos órgãos de comunicação social do Estado, nomeadamente da televisão pública. E já não vale a pena bater mais no ceguinho, pois nada se ganha com isso. Apenas se deduz legitimamente e se verifica a olho nu que os políticos, apesar do que se possa pensar, têm medo da imprensa e da retaliação que sofreriam se, em nome da crise que vivemos, caíssem na asneira de irem aos bolsos das figuras conhecidas dos ecrãs televisivos. Pelos vistos, não há coragem para tal. E a Imprensa não pode escandalizar-se com este juízo de valor, pois globalmente gosta de apontar os argueiros nos olhos dos outros, mas quando se trata dos seus próprios interesses, cala-se bem caladinha, reagindo de forma diferente consoante quem ocupa as cadeiras do poder, isto é, quem lhe apara ou não o jogo. Como me estou marimbando para o facto de os órgãos de comunicação social gostarem ou deixarem de gostar das minhas opiniões, e como nem sequer pertenço a qualquer grupo mais ao menos secreto daqueles que dão cartas neste triste País, posso fazer blague com a abissal diferença do que se passava na Idade Média, com os arautos e expoentes máximos da cultura, e o que agora se passa com as estrelas da Televisão e não só, como diria a simpática Srª Miquinhas, dona do estabelecimento comercial da esquina.

Perante uma situação de crise, que sacrifica todos os que fizeram descontos ao longo da sua vida de trabalho, e que cada vez recebem menos dinheiro para as suas despesas essenciais, outros há, nas empresas do Estado, que não se lembram nem se querem lembrar dos cortes feitos nos vencimentos da maioria da comunidade. Até parece que consideram incómodos e imprestáveis os mais velhos, já fora dos circuitos produtivos, e que garantiram com as suas contribuições o actual Estado Social. Para não haver dúvidas sobre esse diagnóstico, basta verificar o que se passa com os locutores e outros artistas do ecrã que têm os seus vencimentos permanentemente acrescidos ou, pelo menos, imunes a qualquer corte, com base nas mais desvairadas desculpas oficiais, como será a concorrência e o temor que se escapem para outra antena da concorrência, daquém ou dalém fronteira…! Ora, não é isto o que se passa com o melhor que há na nossa juventude, por não encontrar emprego no território nacional ou por não estar para aturar o ambiente mafioso que hoje em dia se vive, com políticos corruptos e demais marginais intocáveis a viver à nossa custa? Sim, à nossa custa, comunidade altamente explorada, a conviver obrigatoriamente, paredes meias, com privilegiados políticos que não tinham um tostão de seu e agora são uns autênticos nababos, com uma actuação igual ao ditador Bocassa e quejandos. Ora bem, noutros tempos, quando a moirama subia por aí a cima ou nos atacava pela fronteira do Sul, a pretender cortar a cabeça à nossa gente para restabelecer o seu império nos Reinos dos Algarves, as nossas reservas tinham que ser canalizadas, sem qualquer hesitação, para a defesa e para o povoamento do território. Todos tinham que apertar o cinto e os elementos da Corte, a gosto ou a contragosto, davam o exemplo. Claro está que, como hoje, a cultura dominava o panorama intelectual tanto dos estratos mais altos como os gostos simples do nosso povo, mais que não fosse, por um snobismo igual ao dos nossos tempos.

Tirando as notícias dadas pelos arautos e proclamações oficiais, as histórias, os escândalos, as intrigas, a má língua, as cantigas de mal dizer, bem como as críticas ao poder, eram matéria veiculada por um tipo “sui generis” de comunicação social. As novidades eram transmitidas pelos bobos, pelos jograis, e pelos artistas que eram contratados pelo poder central ou local e que representavam nas feiras e noutros lugares públicos os seus momos, formando a opinião pública da altura. Apesar de tal, D. Afonso III, arrostando com o melindre do descontentamento dessas “trombetas”noticiosas, não deixou de limitar o número de bobos e de jograis da corte e de lhes mexer nos vencimentos. Isto, apesar da importância dada à vertente cultural no seu reinado, pois tinha vivido na Corte de Bolonha e sentia, por experiência própria, a necessidade imperiosa da cultura, como factor determinante para o desenvolvimento global do Reino. Apesar das circunstâncias descritas, na Corte, os jograis passaram a ser apenas três para poupar o erário público. Na verdade, o Rei deixou-se de demagogia barata e achou que esse sector da população era privilegiado em relação aos outros sectores da vida pública e, se tirou regalias ao clero e à nobreza, não poupou os artistas, mesmo aqueles que tinha que manter satisfeitos para evitar as sua possível língua viperina. E vai daí, além de lhes reduzir os vencimentos e o passadio, diminuiu o seu número no elenco dos funcionários da Corte, isto é, nos quadros do funcionalismo público de então. Por outro lado, em relação a outro tipo de elementos culturais da sociedade de antanho, que viviam à sombra das benesses da república, que pagava a sua actuação directa, ou indirectamente através dos Concelhos, passava-se o mesmo. Na verdade, as soldadeiras e as bailarinas ambulantes, a quem o poder só tinha vantagem em agradar pois, juntamente com jograis e aedos, eram permanente atracção pública, influenciando com a sua opinião as multidões que frequentavam feiras e mercados. Sem qualquer cerimónia., passaram a ter a sua vida regulamentada e a ter que ajudar a causa pública com as suas contribuições. O intelectual português, Duarte Ivo Cruz, faz alusão a essas limitações económicas para a Cultura, por parte do Rei “Bolonhês”, no interessantíssimo livro “Teatro em Portugal”.

Pois, nos nossos tristes tempos, igualmente ao que se passa com alguns gestores de empresas públicas, os responsáveis e as estrelas televisivas e da rádio oficial são intocáveis, escandalizando uma população inteira com os seus chorudos proventos, população essa que, muitas vezes, não tem o suficiente para se tratar e para alimentar o agregado familiar, apesar de ter trabalhado no duro toda uma vida.

Fiquei agora escandalizado e abismado com um espectáculo de dança, em pleno Terreiro do Paço de Lisboa, denominado “Danças no Mundo”, de uma falta de nível confrangedor, para não dizer em português vernáculo, uma autêntica pepineira. Mas o mal não foi esse, pois quando indaguei das razões da apresentação de um espectáculo tão medíocre, transmitido na hora nobre da televisão, disseram-me que o mesmo era já o final de uma sequência de outras sessões e as dançarinas eram locutoras televisivas que andaram pelos quatro cantos do mundo a aprender a dançar com os bailarinos locais, acompanhadas pelas equipes da televisão e pelosos respectivos técnicos e respectivos professores de dança. Pelos vistos, andaram a fazer turismo à nossa custa, por dez países., a saber Brasil, Argentina. Cuba, República Dominicana, Áustria, Espanha, Índia, Cabo Verde, S. Tomé e Príncipe, e Angola. Um escândalo autêntico!!!.

Uma das dançarinas, uma locutora do Norte, Sónia Araújo, ainda mostrou ter aprendido bem as lições recebidas no estrangeiro, não sendo a sua actuação a vergonha exibida pelas restantes artistas, autênticos pés de chumbo que davam umas cabriolas de circo, ajudadas por bailarinos profissionais, com uma falta de graça e de jeito gritantes. E já sei que os costumeiros usuários do politicamente correcto me vêm dizer que a TV teria que ter em conta os patrocínios recebidos para levar a cabo esta chuchadeira sem pés nem cabeça, a passar um atestado de estupidez e boçalidade aos espectadores.

Será bom que sejam pedidas contas aos responsáveis da programação da televisão por esta bambochata que deve ter custado uma fortuna ao País em crise e que não tem dinheiro para satisfazer as necessidades públicas essenciais. Considero esta situação mais uma manifestação de autêntica CORRUPÇÃO que a colectividade tem que combater definitivamente. O Governo terá forçosamente que chamar à pedra os autores deste descalabro, correndo com os responsáveis, se for caso disso…!

————————————————————————————————

Mais artigos:

TO BE OR NOT TO BE – Acreditar ou não, eis a questão!!!..
“Quem salva uma Vida, salva o Mundo Inteiro” (2ª parte)
Finalmente, começam os responsáveis deste País a não esconder a figura de um dos maiores Homens Portugueses do Século Passado – 1ª parte
Timor, crimes cujos autores nunca foram julgados nem punidos, para exemplo futuro
Timor, nossa irmã tão querida e tão martirizada (parte 1)
Já nos deixou há trinta anos, Zeca Afonso, um bom exemplo de um Santo Moderno
Desaforo republicano inqualificável
Más notícias?!!!. Vira essa boca para lá…
Os “Assassinos” não são intelectualmente antepassados dos actuais extremistas muçulmanos…!
As barbas revolucionárias de Fidel de Castro representam uma fortuna pessoal maior do que a da Rainha Isabel de Inglaterra!!!
EUROPEUS, Os Novos Mortos Vivos do Panorama Mundial
Umas fanecas históricas com EFES à mistura
Fogo na mata. Acudam!!! O diabo anda lá à solta com uma tocha na mão!!!
Porto Santo, a antiga irmã pobre da Madeira (2ª Parte)
Madeira, a verdadeira Atlântida, no que toca a beleza e mistério (1ª Parte)
A leitura do livro “De Lamego ao Lubango” de Miguel Henriques e a consequente Peregrinação Interior
PARABÉNS BOMBEIROS DA NOSSA TERRA
O Apelo misterioso de África e o Medo da actual realidade
O Culto da Imaculada Conceição e a Santa da Máscara de Seda – 2ª Parte
Manuel Guimarães da Rocha (Homenagem pela Câmara Municipal de S. Pedro do Sul)
Beatriz da Silva, uma Santa bem Portuguesa – 1ª Parte
60º Aniversário da Casa da Beira Alta do Porto
A inoportunidade de certos feriados
• Como a errada filosofia que informa a União Europeia parece ser a mesma que fundamenta o exercício político de Deng Xiao Ping!!!
O Homem está a cometer um suicídio a curto prazo, se continuar a não respeitar a Irmã Natureza. – 1ª Parte
A atracção de África e o espírito lafonense
Tenebrosos sonhos ditatoriais da tenebrosa república que temos
Lagarteira, um antigo solar das Terras Lafonenses que faz parte do seu roteiro romântico
O Património e a História local pertencem à colectividade
Tentação de Desertar, maleita que começou a contaminar muito boa gente
A Grécia, a fundadora da Democracia, e a distorção nesta feita pelos organismos europeus e partidos políticos caseiros
António Rebordão Navarro, o poeta e escritor dos tristemente abandonados dentro de si mesmo, e dos marginalizados pela sociedade
Tios, Tiozinhos e Comp. Lda.
O miserável saque de bens portugueses feito pelas tropas napoleónicas, chefiadas por Junot, e o comportamento corajoso do Poeta e Escritor Vasco Graça Moura. – 4ªparte
A lenda e o espólio da campanha – 3ªParte
O rapinanço dos bens portugueses pelas tropas napoleónicas a pretexto da Guerra Peninsular  (Parte 1 e 2)
A Revoltante indiferença internacional perante o que se passa na Nigéria- 3º Parte
E agora como remendar a actual situação? Terá chegado a eliminação física dos matadores dos jornalistas ?- 2ª Parte
Charlie ou Malhas que o diabo tece- 1ª Parte
A Famigerada Lei do Indigenato – 2ª Parte
Um Grande Senhor do Panorama Político Português – 1ª Parte
Francisco Sousa Tavares e Sophia Mello Breyner Andersen (1ª parte)
Orlando Carvalhas, um dos Gémeos de Ouro da minha juventude
A lamentável e triste saga da divisão da C.P. e da criação da Refer (Continuação)
Um Vice-rei do Norte, campeão da liberdade democrática
A lamentável e triste saga da divisão da C.P. e da criação da Refer (Continuação)
A Centenária Primeira Grande Guerra já estará esquecida pelos portugueses?
Dia Um de Novembro, Dia de Todos os Santos e o Culto dos Mortos – 2ª Parte
Um Regresso Imaginário que se transformou numa real e concreta Revisitação
Cemitérios e a sua imprescindível faceta social – 1ª parte
Vasco Graça Moura, uma explosão intelectual permanente
A defesa dos interesses portugueses, através da comunicação social – 3ª parte
Lançamento de um bom livro, que veio certificar o alto nível intelectual do seu autor
Amêijoas à portuguesa fora de portas – 2ª parte
Quando fora do território nacional vemos a influência da nossa história e da nossa gente, sentimos um profundo e legítimo orgulho – 1ª parte
A maldita influência da Moda Política praticada além fronteiras
Somos sempre uns eternos pacóvios perante o que vem lá de fora, mesmo que nos prejudique gravemente…! (2)
E como não podia deixar de ser, um toque refinado pseudo francês (5)
As Morcelas e demais Enchidos e a nossa Beira (4)
Novo cenário para esta tragicomédia, com artistas bem do nosso agrado: Os enchidos (3)
Os preliminares da “Matação” e a parte social desta função (2)
O Porquinho caseiro faz parte da família (1)
O espírito do mal em luta contra os Valores Fundamentais
O futuro das nossas Reformas e Pensões e as dúvidas sobre a sustentabilidade da Segurança Social. Quem é responsável pela actual situação?
A maldita influência da Moda Política praticada além fronteiras  (parte 1)
As frustrações do dia a dia e a violência desportiva
Viagra Generico Cialis Originale Kamagra 100 mg Kamagra Oral Jelly Acquistare Propecia Generico Sildenafil Priligy Cialis Jelly Cialis Original Generisk viagra 100mg Kamagra Soft Viagra gebruiksaanwijzing Lida Afslankingskoffie Viagra kopen Cialis en ligne Viagra vs Cialis Acheter Viagra Original Acheter Generic Viagra Soft Acheter Kamagra Acheter Levitra Original Acheter Manforce
Sildenafil Priligy Cialis Jelly Cialis Original Generisk viagra 100mg Kamagra Soft Lovegra 100mg Kamagra oral jelly 100mg Generisk Viagra Kamagra Oral Jelly Kamagra Cialis Generisk Cialis Generisk Kamagra Jelly Viagra Professional Kamagra 100mg Levitra 20mg Kamagra oral jelly 100mg Cialis Super Active Viagra Jelly
Erfahrungen Levitra Original Viagra Cialis Kaufen Cialis billig Lida kundenrezensionen Herren-Apotheke Online Lovegra kaufen Lovegra günstig Cialis oder Viagra Gegen Rauchen Viagra ohne Rezept Schlankheitsmittel Kamagra Brausetabletten kaufen Viagra pille Cialis Tadalafil Viagra rezeptfrei kaufen Cialis rezeptfrei Erfahrungen Viagra Generka Levitra rezeptfrei kaufen Kamagra Oral Jelly kaufen Kaufen Kamagra
Levitra bestellen Kamagra Jelly Viagra Professional kaufen Cialis Super Active kaufen Cialis Jelly Priligy bestellen Levitra Soft Lida Schlankheitstee Kamagra Brausetabletten viagra schweiz cialis kaufen Cialis Professional Cialis Soft Priligy Dapoxetin Viagra Generika Propecia kaufen Propecia Generika Viagra Soft kaufen LIDA Dai dai hua sildenafil kaufen