Destaque (Ed. 656)

Vinho Chão do Vale conta com 24 mil litros e quer aumentar a produção

Vinho Chão do Vale conta com 24 mil litros e quer aumentar a produção

• Patrícia Fernandes

Ed656-Destaque_DSC04342Nasceu um novo vinho na região: Chão do Vale. Um vinho com selo de qualidade DOP (Dominação de Origem Protegida) Lafões, que traz um novo fôlego para um produto em risco de extinção. Até então, os 4 mil litros do produtor António Costa iam aguentando a marca, agora, juntam-se os 24 mil litros de Sérgio Marques. O Vinho Chão do Vale foi lançado no I Festival Gastronómico da Vitela de Lafões, em Vouzela, uma boa notícia para a região que fica assim mais perto de preservar um dos seus produtos com mais identidade: O Vinho de Lafões.

Em São Miguel do Mato nasce uma nova esperança para o Vinho de Lafões. A marca Chão do Vale, DOP Lafões, foi lançada no Festival Gastronómico da Vitela de Lafões, em Vouzela e, desde logo, foi grande a recetividade. Os lafonenses mostraram-se satisfeitos por um “vinho da casa” estar a ser reabilitado. Com relata o produtor, Sérgio Marques, “o vinho foi muito bem recebido, esgotamos todo o vinho que já tínhamos engarrafado. No certame foram vendidas mais de 300 garrafas. Quem provou foi unânime o néctar é muito bom. O resto do vinho está agora a ser engarrafado, ao todo vão estar à disposição 24 mil litros, cada garrafa ronda os 2,90€.

Recorde-se que, como a Gazeta da Beira deu a conhecer em edições anteriores, o Vinho de Lafões está em grandes dificuldades para sobreviver. Apesar da região beneficiar de um microclima favorável à produção de vinhos, que conferem a este vinho de transição características muito próprias e singulares, o futuro da marca está em causa, porque faltam produtores certificados.

Certificar o vinho é a única maneira dar continuidade ao Vinho de Lafões e provar a sua qualidade. Como explica José Correia, um dos nomes envolvidos no lançamento deste novo vinho, “a certificação é importante, o selo da certificação atribui um valor acrescentado, mostra que o vinho passou por várias etapas de aferição de qualidade e sabemos que, também por esse motivo, o consumidor está disposto a pagar”.

Como tudo começou

Como relata Sérgio Marques, criar uma marca própria e certificar o Vinho de Lafões foi um sonho antigo do pai, Horácio Marques, agora tornado realidade. Como explica o produtor, “o meu pai que é da zona de Lafões, durante toda a sua vida adquiriu inúmeros terrenos, hoje, já são mais de 10 hectares. Sempre teve como objetivo certificar o vinho”.

O desafio foi lançado pelo Município de Vouzela e o produtor, com vasta experiência no Vinho do Dão, apostou neste novo néctar. Como recorda Rui Ladeira, “desafiamos o produtor e criamos uma parceria, na qual, o Município venderia o nome do concelho, as imagens de marca de Vouzela, neste caso, a que está instituída no rótulo é a da Ponte da Linha de Caminho de Ferro; e daria a cara por um vinho que, para além de ser do produtor é também DOP Lafões”.

A AEL (Associação Empresarial de Lafões) também apadrinhou este projeto. Como explica José Correia, “para a AEL, a reabilitação da marca e do vinho revestiu-se de suma importância e tratámos de fazer vários contactos com produtores e proprietários de terrenos, que julgámos capazes e com condições inequívocas aptas à certificação do vinho produzido. As reuniões de trabalho foram-se sucedendo e o proprietário da Quinta Chão de São Francisco, também proprietário de uma vasta encosta em Lafões, aceitou este desafio de manter bem viva a marca Lafões. Culminados estes passos, foi com enorme agrado que a AEL colaborou no lançamento do Vinho Chão Do Vale, um vinho de cor citrina, com aroma frutado, que nos deixa na boca um sabor fresco, longo e muito equilibrado. No nosso singelo entender “habemus vino” de Lafões.”

Uma aposta que vai continuar

A AEL e o Município de Vouzela prometem não ficar por aqui. Como refere José Correia, “sinceramente, esperamos que, num futuro próximo, Sérgio Marques seja apenas mais um produtor em Lafões, isso sim, seria uma boa conquista”. A AEL mostra-se assim empenhada em lutar pela região, como acrescenta, “não queremos ficar por aqui e sim, temos mais projectos para revitalizar a marca “Lafões” que a seu tempo divulgaremos com certeza. A razão é simples… acreditamos em Lafões, acreditamos na Região e nas pessoas de Lafões”.

Também para o Município de Vouzela revitalizar o Vinho de Lafões é uma prioridade. O Executivo promete “promover e impulsionar o Chão do Vale, num contexto nacional e internacional”; ao mesmo tempo que está determinado a apoiar novos produtores. Como refere Rui Ladeira, “este é o primeiro de muito outros vinhos que queremos lançar e apoiar, estamos recetivos a todas as políticas que sirvam para apoiar os produtos endógenos de Vouzela e da região, estamos disponíveis para dar o nosso contributo”.

Chão do Vale já está no mercado e mostra a qualidade do Vinho e, também da Região de Lafões. Um passo importante, que deixa os lafonenes com boas expectativas para o futuro. Aguardam-se novos passos para cumprir com o objetivo comum de revitalizar a marca Lafões.

—————————————————————————————————————————-

Mais artigos

A gastronomia: história, autenticidade e progresso
A Rainha de Valadares
Projeto universitário aproximou a arte dos reclusos
• O homem atrás da câmara
Vitela certificada, uma aposta na qualidade
Pastel de Vouzela – Vouzelenses querem salvaguardar as origens dos seus produtos
Cantigas com alma
Bolsa de terras um exemplo de sucesso
Um retrato de Sever do Vouga
Centro de Emprego Dão Lafões têm novo director adjunto
Concerto de Natal memorável, muito aplaudido pela população

Redação Gazeta da Beira