Zona Industrial quer afirmar-se como um vetor de desenvolvimento de toda a região

Luís Vasconcelos ementrevista

Zona Industrial quer afirmar-se como um vetor de desenvolvimento de toda a região

O ano 2014 em revista, o 2015 em perspetiva, os principais temas que marcam a atualidade em Oliveira de Frades, em destaque. Conheça as principais obras em curso e as que estão em carteira; os projetos que o município está a desenvolver para candidatar ao novo quadro comunitário; o programa Aproximar no concelho que deve trazer mais serviços para Oliveira de Frades, a discordância do executivo com o Fundo de Apoio Municipal e muitos outros temas. Luís Vasconcelos responde a tudo, em entrevista exclusiva à Gazeta da Beira.

lv

 

Gazeta da Beira (GB) – O início de um novo ano é sempre altura de balanços. Que balanço faz o município de Oliveira de Frades? Pode destacar alguns exemplos?

Luís Vasconcelos (LV) – O Município de Oliveira de Frades, nos últimos anos, tem-se pautado por um desenvolvimento sustentado, assente em vários vetores.

O ano 2014 foi mais um ano extremamente positivo na procura incessante da melhora da qualidade de vida dos nossos concidadãos. Poderia destacar vários exemplos materiais e imateriais dessa melhoria, mas, obviamente, a construção do Centro Escolar e a Requalificação das Piscinas Municipais são obras que, pela valia para a população e pela importância para o desenvolvimento educacional e desportivo, terão um impacto positivo nos próximos anos no concelho.

Também não poderia deixar de destacar o valioso investimento que fizemos na construção de uma nova Estação de Tratamento de Água que entrou, recentemente, em fase de testes e que marcou positivamente a ação do ano 2014.

 

GB-Consegue destacar o ponto alto e o ponto baixo de 2014, em Oliveira de Frades?

LV- No decorrer do ano 2014 conseguimos, como disse, aumentar a qualidade de vida na área do concelho, fruto da correta afetação dos recursos às áreas primordiais do nosso quotidiano.

É difícil destacar o ponto alto porque julgo que cada conquista e cada objetivo alcançado é sempre um ponto alto a registar. E, felizmente, 2014 foi pródigo em objetivos conquistados.

Como ponto menos positivo posso destacar a obrigatoriedade de cooperar no Fundo de Apoio Municipal (FAM) para apoio daqueles que se endividaram descontroladamente. Saliento, ainda, alguma morosidade na apreciação de alguns processos pela Administração Central. Obviamente, a nossa persistência tem impedido que essa morosidade dificulte o nosso desenvolvimento.

GB-Em 2014, Oliveira de Frades acabou por perder serviços no Tribunal, a “ameaça” do encerramento das finanças continua. O que o município tem feito e pode fazer para contrariar a situação?

LV-Não nos conformamos com a perda do tribunal, no seu pleno funcionamento. É certo, contudo, que a nossa ação permitiu manter a secção de proximidade do mesmo. No entanto, continuamos a julgar que todos sairiam beneficiados se tivessem mantido os serviços e partilhássemos os magistrados pelos diferentes tribunais.

Com o programa Aproximar, incrementado pelo Governo, não se conjeturam mais encerramentos de serviços públicos na área do Município. Continuaremos a trabalhar para que assim aconteça.

 

LV-Vouzela e recentemente Sever do Vouga vão receber Espaços do Cidadão, está algum previsto para Oliveira de Frades?

GB-Está prevista a criação de um Espaço do Cidadão em Oliveira de Frades que possibilitará um melhor serviço público de apoio ao cidadão.

Os 14 Municípios da Comunidade da Região Viseu Dão Lafões serão, assim, pioneiros na disseminação do programa Aproximar, que visa a manutenção do serviço público de proximidade nos diferentes concelhos.

Saliente-se, contudo, que a freguesia de Ribeiradio tem em funcionamento, há vários anos, um Balcão Multisserviços que disponibiliza vários serviços aos Munícipes.

 

GB- Falemos agora de 2015. Quais são as prioridades? Concretamente o que vai ser feito?

LV-Para o ano 2015 são muitos os investimentos que perspetivamos. A requalificação Urbana da Vila, a conclusão do Centro Escolar, a conclusão da requalificação das Piscinas Municipais, a finalização da requalificação da Biblioteca Municipal, o lançamento do concurso de ideias para o Parque Urbano são alguns dos exemplos do muito que queremos e iremos fazer durante este ano.

É importante referir que estes investimentos têm sido realizados no mais irrepreensível cumprimento das nossas possibilidades financeiras.

Por essa razão somos contra o FAM, uma vez que, não consideramos correto que os Municípios que cumprem sejam sujeitos à obrigatoriedade de ajudar aqueles que não cumpriram e se endividaram para além das suas possibilidades.

 

GB-Em 2015, perspetiva-se a abertura do novo quadro comunitário de apoio. Que novos projetos podem surgir no concelho? Tem já alguns projetos delineados?

LV-O Concelho de Oliveira de Frades tem um vasto conjunto de projetos e ações para candidatar ao próximo quadro de apoio comunitário.

A 2.ª Fase da Requalificação Urbana da Vila, o Saneamento às freguesias de Ribeiradio e Arcozelo das Maias, o Parque Urbano da Vila, são alguns dos exemplos de projetos que estamos a ultimar e que darão suporte às candidaturas que pretendemos.

Queremos obras para serem usadas e que possam incrementar qualidade de vida a Oliveira de Frades e aos seus cidadãos.Estamos certos que servirão de suporte ao nosso desenvolvimento.

 

GB-A Lei determina que as águas passem para a alçada de sistemas municipais ou intermunicipais. Qual é o ponto de situação no concelho?

LV- No concelho de Oliveira de Frades, o Município é o gestor de toda a rede de abastecimento de água pública no concelho. De referir neste capítulo a revitalização da captação existente na Barragem das Caínhas, a Construção da nova Estação de Tratamento de Água que, como já referi, entrou recentemente em fase de testes, a construção de novos depósitos e todas as obras inerentes que executámos nos últimos anos colocar-nos-ão, a breve prazo, num elevado patamar de fornecimento de água de qualidade aos nossos concidadãos. É um sistema de elevada qualidade, totalmente propriedade do Município de Oliveira de Frades.

 

GB-A Zona Industrial de Oliveira de Frades é das mais dinâmicas da região. Na pasta do emprego e tendo em conta o potencial da ZI o que o município pode fazer?

LV-A Zona Industrial de Oliveira de Frades é, sem dúvida, uma das mais importantes da Região. Para esse sucesso muito tem contribuído o Planeamento e os Investimentos que temos levado a avante. Conseguimos aprovar, recentemente, a revisão e ampliação do Plano de Pormenor da Zona Industrial de Oliveira de Frades. Após um longo processo, demos um passo importante para a fixação de mais empresários e emprego na nossa Zona Industrial, através da disponibilização de mais lotes.

Também, neste domínio, temos investido na melhoria das infraestruturas, melhorando acessibilidades no interior e no acesso à Zona Industrial.

Junto da AICEP temos promovido a nossa zona industrial para captar mais e melhor investimento.

A oferta de lotes é também uma opção, para aqueles que se disponham a criar emprego concelhio nos moldes que definimos, mediante a apresentação de projeto de investimento.

Em suma, continuaremos a investir para que a Zona Industrial, cada vez mais, se afirme como vetor de desenvolvimento de toda a região.

 

GB-O município pondera mudar a Feira quinzenal para os domingos. Qual o ponto da situação? Os comerciantes apoiam? Quais os objetivos desta mudança?

LV-O Município pondera alterar uma das duas feiras quinzenais (a última de cada mês) para o domingo, mantendo a primeira feira do mês à 2.ª feira.

Por solicitação dos feirantes, de forma a revitalizar a feira e o comércio no centro da vila, julgamos que com esta mudança poderíamos facilitar a que mais Oliveirenses pudessem usufruir da mesma e que, ao mesmo tempo, conseguíssemos captar mais público, oriundo de toda a Região.

Estamos num processo de auscultação de todos os envolvidos, no sentido de ponderar e decidir pelo que será a melhor solução para todos.

GB- A primeira fase da requalificação urbana a vila decorre a bom ritmo. Qual a importância desta obra. Para quando a conclusão?

LV-A Requalificação Urbana de toda a vila iniciou a sua primeira fase que decorre a bom ritmo. A imperativa substituição das antigas condutas de abastecimento de água motiva a regeneração urbana que tornará a vila mais moderna e mais apelativa. A primeira fase será concluída durante o corrente ano, sendo que, a 2.ª fase terá enquadramento nos projetos que iremos candidatar ao Quadro Comunitário 2014-2020.

Primeira fase da Requalificação Urbana da Vila decorre a bom ritmo (caixa) Segundo o município, a primeira fase da Requalificação Urbana da Vila – Centro Urbano, decorre a bom ritmo. Esta obra representa um investimento global de 604,066,56 € e contempla pavimentações, execução de passeios, substituição de condutas de água, arranjo de pavimentos, construção de novos acessos, entre outras requalificações. Recorde-se que esta intervenção, como indica a autarquia, tem como principal prioridade a substituição das antigas condutas em fibrocimento existentes no centro urbano, permitindo assim a renovação do espaço público e também a prestação de um serviço de qualidade.

Incubadora de Empresas pode nascer no Parque Urbano da Vila

Na Reunião de Câmara do passado dia 12 de janeiro, o executivo revelou a intenção de vir a instalar uma Incubadora de Empresas no Parque Urbano da Vila. Como se pode ler na ata a que a Gazeta da Beira teve acesso, o objetivo passa por “ter um espaço disponível para cedência no âmbito do empreendedorismo”. Como explica Luís Vasconcelos, “Pretende-se que os jovens que tenham, terminado o curso, sobretudo do ensino profissional, tenham um espaço onde possam exercer a sua atividade, durante um período a definir e de forma gratuita”.

Além disso, como foi anunciado, prevê-se ainda a criação de uma escola de remo e de canoagem, o objetivo passa por “dinamizar a futura maioria”.

Os termos de referência relativos aos concursos público de conceção do Parque Urbano da Vila de Oliveira de Frades foram aprovados por maioria. Porfírio Carvalho foi o único a votar contra. Um dos motivos prende-se como o facto de considerar que estes equipamentos deveriam estar noutro local e não no sugerido.

Programa Aproximar

O Programa Aproximar é uma Estratégia para a Reorganização dos Serviços de Atendimento da Administração Pública que passa pela Reorganização dos Serviços. A iniciativa já foi publicada em Diário da República e está já em fase de implementação.

Este Programa concebe um novo modelo de organização dos serviços públicos, cuja distribuição pelo território privilegia a proximidade da Administração Pública aos cidadãos e às empresas. Como explica o Governo Português, “Com particular preocupação pela proximidade e sustentabilidade dos serviços de atendimento, o Programa Aproximar baseia-se em três pilares de reorganização da rede física de serviços: a integração dos serviços de atendimento em Lojas do Cidadão (com pelo menos uma por concelho); a reorganização e otimização dos back offices dos serviços públicos; e, finalmente, o alargamento da rede complementar dos Espaços do Cidadão, com soluções de atendimento digital assistido (com um objetivo de cerca de mil em todo o território nacional) ”.

Complementarmente, como acrescenta a mesma fonte, “o Programa Aproximar contempla ainda duas soluções de mobilidade que reforçam o objetivo de aproximação dos serviços públicos aos cidadãos – o transporte a pedido do «Portugal Porta-a-Porta» e as «Carrinhas do Cidadão», funcionando como Espaços do Cidadão móveis, que permitirão levar os serviços até às regiões de menor densidade populacional”.Redação Gazeta da Beira