Traçado só deve ser decidido pelo próximo Governo

Requalificação da Beira Alta ou novo corredor ferroviário entre Aveiro e Vilar Formoso?

A decisão da construção de um corredor ferroviário que ligue Aveiro a Vilar Formoso, que passaria pela região, só deve ser tomada depois das eleições legislativas, no final do ano. Para já, o Governo candidatou-se ao mecanismo de financiamento: “Connectig Europe Facility” para analisar as duas alternativas: a construção de um novo corredor ou a requalificação da linha da Beira Alta. Só em Julho é que se saberá se a candidatura será aceite, deixando pouco tempo para estudos aprofundados, explica Sérgio Monteiro.

Como adiantou Sérgio Monteiro, à margem da inauguração do Centro de Distribuição Postal em Vouzela, o traçado definitivo só deve ser decidido pelo futuro Governo. O Secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, defende que o período eleitoral está demasiado próximo para que se tomem estas resoluções. “Já não estamos em tempo de tomar essas decisões, não queremos limitar o grau de liberdade do futuro Governo.”

Em cima da mesa duas opções: a construção de um novo traçado que ligue Aveiro a Vilar Formoso ou a requalificação da linha de circulação da Beira Alta. Os dois cenários foram apresentados a Bruxelas que vai realizar estudos e projetos de obra.

Em Conselho de Ministros já tinha sido aprovada a requalificação da Linha da Beira Alta, de acordo com um estudo da REFER, contudo, um conjunto de entidades público privadas da região apresentaram um parecer alternativo em que é defendido uma ligação alternativa entre Aveiro e Vilar Formoso.

A nível de custos, as duas propostas estão agora equiparadas, em causa, está um investimento de 810 milhões de euros para a criação de uma via-férrea para o transporte de mercadorias. Há, contudo, outros aspetos a ter em conta. Como explica o Secretário de Estado: “Primeiro importa saber se as análises, em termos de custos apresentados, estão ou não em linha com a realidade, ou seja, se são coerentes com a própria análise que a REFER faz, e por outro lado, qual é o custo de manter a Linha da Beira Alta funcional, porque, mesmo que a opção futura seja a construção da linha é preciso que a linha da Beira Alta se mantenha funcional, porque esta é fundamental para o trânsito de passageiros e mercadorias.

Novo corredor é urgente para a competitividade da região

Autarcas e associações empresariais do Norte e do Centro já vieram considerar o corredor Aveiro-Vilar Formos uma obra urgente para a competitividade do território. Num recente encontro em Santa Maria da Feira, foram unânimes em considerar o corredor ferroviário como a prioridade das prioridades. Recorde-se que estas duas regiões, juntas, são responsáveis por 70% das exportações.Redação Gazeta da Beira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.