“Se realmente há falta de resposta, vamos responder”

Interpelado sobre as obras na Secundária de S. Pedro do Sul, Egídio Reis responde

A Gazeta da Beira aproveitou a visita do Secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário a Vouzela para o questionar sobre a situação das Escolas em S. Pedro do Sul. Em resposta o Secretário de Estado disse não conhecer a situação. Confrontado com o facto de o Município aguardar há mais de ano e meio por uma resposta do seu Ministério, Egídio Reis promete averiguar a situação.

DSC01824

“Nós costumamos responder às solicitações que nos são feitas. Eu vou indagar. Deixo aqui esse compromisso, vou averiguar o que é que se passa. Se realmente há falta de resposta, vamos responder”, garante. O Secretário de Estado diz não conhecer a situação, e esclareceu aos jornalistas que as obras escolares não são da sua atribuição.

Município dá um mês para Governo tomar posição

Recorde-se que, recentemente, o Município de S. Pedro do Sul fez um “ultimato” ao Governo. Segundo explicou Teresa Sobrinho, em novembro de 2011, o Município de S. Pedro do Sul adquiriu a Escola Básica do segundo e terceiro ciclos de S. Pedro do Sul, por causa do Centro Escolar. Em troca, o Ministério da Educação comprometeu-se a executar obras na Escola Secundária que, posteriormente, passaria a acolher todos os alunos. Mais de três anos depois, o assunto continua na gaveta e a EB 2/3 a servir o Ministério.

Agora, o Município, cansado de esperar pelas obras, lança um ultimato ao Governo: ou chegam a um acordo e as obras começam ou o Ministério da Educação terá de começar a pagar renda. Segundo as contas apresentadas por Teresa Sobrinho à Gazeta da Beira, neste impasse desde 2011/2012, o prejuízo da autarquia, por ano, ronda os 112 mil euros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.