Projeto promovido pela ADRL lança livro

Em Rede pela Vida revela histórias inspiradoras de lafonenses e de Lafões

Na fase final de execução, o Projeto “Em Rede pela Vida”, promovido pela ADRL-Associação de Desenvolvimento Rural de Lafões e apoiado pela EDP Solidária Barragens, lançou o livro com 16 histórias de vida de lafonenses que resultam de uma recolha que decorreu durante um ano, o tempo do projeto. O livro que recuperou o nome do projeto, “Em Rede pela Vida” é assinado pela jornalista Patrícia Fernandes. O lançamento do livro foi no passado domingo, dia 10 de janeiro, na Livraria “Leituras (In)esperadas. O livro “Em Rede pela Vida” resulta de uma viagem de um ano pelos concelhos de S. Pedro do Sul, Oliveira de Frades e Sever do Vouga da qual resultaram 16 histórias diferentes, as quais têm vindo a ser publicadas na Gazeta da Beira. Desde artesãos, a músicos, andeputados, atores, bombeiros… o “Em Rede pela Vida” conta estórias diferentesbque em comum têm a vontade de viver.Estas estórias de vida foram também um pretexto para resgatar tradições, costumes e vivências que o tempo teima em apagar, são, portanto, também, uma tentativa de viajar às nossas origens.

12509338_961044683960920_7151956026154695641_n

 Como explica Patrícia Fernandes, autora do “Em Rede pela Vida”, “Neste livro estão dezasseis estórias, histórias diversificadas e abrangentes, todas elas com uma mensagem importante: viver é fundamental! Estes testemunhos são, portanto, uma viagem às nossas origens rurais, revivendo, para isso, as tradições e costumes de um outro tempo. Para prosseguirmos em frente, é fundamental valorizar os nossos anciões que guardam
nas suas mãos, calejadas pela vida, um saber precioso. Afinal, quem somos nós sem o passado?”, explica.
Com esta premissa, o “Em Rede pela Vida” levou avante esta recolha e conseguiu reunir um património coloquial imprescindível. Estes testemunhos são, portanto, uma tentativa de levar para o futuro uma bagagem importante: “a nossa essência, para que, através das memórias que aqui relatamos, o saber possa ser preservado e levado de geração em geração”, acrescenta a jornalista.

Carmo Bica, Coordenadora do Projeto, sublinhou a importância desta recolha. “Saber ouvir os mais velhos é uma das boas formas de aprender a viver e de não perder as nossas histórias e identidade. A enorme sabedoria que cada um e cada uma constrói ao longo da vida, é, na grande maioria dos casos perdida com a sua morte. Há imensa gente, analfabeta ou quase analfabeta, muito inteligente e com um percurso de vida de uma enorme riqueza, que não consegue transmitir o seu conhecimento através da escrita”, resumiu.No lançamento do projeto esteve, ainda, presente Sofia Lage, em representação da EDP que elogiou o projeto e destacou a vertente solidária da EDP que tem apoiado, ao longo dos anos inúmeras causa.

O projeto
O projeto “Em Rede pela Vida” está a entrar na reta final, Carmo Bica faz um balanço positivo, mas reconhece, há ainda muito a fazer. “Este projeto era mais ambicioso, mas o tempo e os recursos são sempre escassos e muita coisa ficou por fazer. Esperamos ainda poder dar-lhe continuidade. Por agora ficam os testemunhos recolhidos pela jornalista Patrícia Fernandes”.
Para além da recolha de histórias de vida este projeto, através da Jovouga, uma das parceiras, levou o teatro aos Lares de Lafões. Uma experiência que Patrícia Fernandes diz ser muito enriquecedora. “A peça de teatro “Uma família dos diachos”, que o “Em Rede pela Vida” levou a diversas Instituições Públicas de Solidariedade Social da Região, é o reflexo de um longo trabalho de vários meses. Tudo começou com a recolha de testemunhos de vida, já que o nosso objetivo era que estes fossem marcas bem vincadas nesta peça original que construímos. “ Uma família dos diachos” é, portanto, uma comédia que bebeu muito daquilo que é o quotidiano rural. rural. Esta peça original foi levada a cena pela Companhia de Teatro da Jovouga – Associação Cultural, Desportiva e Recreativa de Cedrim, parceira chave neste projeto e encenada por Pedro Giestas. Mais do que um cheirinho a teatro, a Jovouga levou alegria aos Lares e proporcionou um contacto intergeracional entre os jovens da jovens da associação e os utentes das instituições”, explica.

Mesa Redonda reflete sobre o envelhecimento
Na passada quinta-feira, dia 7 de janeiro, na VFM, no Programa Painel 7º Dia, dirigido por António Meneses, também inserido no projeto “Em Rede pela Vida”, destacou a temática do envelhecimento ativo.
Durante uma hora, as temáticas do envelhecimento ativo e da importância das IPSS no apoio aos idosos estiveram em reflexão. De sublinhar a intervenção da Elisa Pinto, Diretora Técnica do Centro Social de Vila Maior que traçou um importante retrato da realidade da região.

Redação Gazeta da Beira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.