Presidencialismo e valorização de características pessoais dos candidatos

Autárquicas em Lafões

Fazer uma análise macro dos resultados das últimas eleições autárquicas nos três concelhos da região de Lafões implica conhecer os principais protagonistas e a legislação do poder local que ao longo destas quatro décadas de poder local democrático tem contribuído tem vindo a permitir a sua transformação num exercício de poder presidencialista.

Em Lafões, região homogénea em características territoriais e culturais, verificámos comportamentos muito idênticos por parte do eleitorado dos três concelhos independentemente do partido que escolheu para depositar a sua confiança.

Mais do que num partido votaram numa pessoa, votaram para eleger ou derrubar um presidente. Os partidos que não se apresentaram como alternativa a eleger presidentes, tanto esquerda como à direita, tiveram votação residual à semelhança de tendência generalizada quase por todo o país.

Em São Pedro do Sul Victor Figueiredo é eleito para o seu segundo mandato com uma votação reforçada e quase esmaga o PSD. Apesar deste partido se ter procurado renovar, escolhendo para encabeçar a lista candidata à Câmara Municipal Daniel Martins que, anteriormente, integrou lista do Partido Socialista. O BE não apresentou candidatura, o CDS e a CDU obtiveram votações residuais como se pode ver nos quadros que ilustram este texto.

Este facto deve-se claramente a um reconhecimento das características pessoais e políticas de Victor Figueiredo. Um Presidente que começa a sua participação autárquica ao nível da freguesia. Foi presidente da Junta de Freguesia de São Pedro do Sul onde o trabalho é de proximidade é de ouvir as pessoas e ter em conta os seus problemas e os seus anseios. É fazer política na rua, sentindo olhos nos olhos, os problemas de todos e de cada um. Esta é a mais valia de quem se inicia na Junta de Freguesia, a capacidade para ouvir.

Parece que o povo de São Pedro do Sul valorizou estas características de Victor Figueiredo que não se fechou no pedestal do seu gabinete de presidente de câmara municipal, distante do povo e com dias restritos marcados para o receber, como tem sido prática de muitos autarcas.

Trabalho autárquico, mesmo ao nível do município é de proximidade, é de participação, é de cidadania. Esta parece ser uma constatação a fazer destes resultados em Lafões.

Ora vejamos, também em Vouzela fenómeno semelhante se passou com Rui Ladeira. Rui Ladeira viu o seu mandato aprovado e com uma votação histórica para o PSD em Vouzela. Maioria absoluta do PSD reforçada; PS com uma derrota também histórica, regressando à época anterior à primeira vitória para a CM protagonizada por João Ribeiro; CDS e CDU com votações residuais e BE não apresentou candidaturas.

Também aqui as características pessoais e políticas de Rui Ladeira terão sido decisivas para a obtenção destes resultados. Rui Ladeira conhece bem o concelho, reside numa das freguesias rurais do concelho, onde nasceu e foi criado, teve um percurso de forte envolvimento no movimento associativo e cooperativo o que lhe permitiu desenvolver um espírito de entrega e de trabalho voluntário às causas do desenvolvimento da sua terra. Rui Ladeira para além do associativismo ao nível da sua freguesia, foi fundador da VerdeLafões, foi dirigente da Associação de Desenvolvimento Rural de Lafões (associação que celebra em Janeiro próximo 25 anos da sua constituição) onde dirigiu o sector florestal tendo aí constituído 2 equipas de Sapadores Florestais que ainda se mantêm em funcionamento e dirigente e fundador da Cooperativa 3 Serras de Lafões, na qual se envolveu na constituição de 3 Zonas de Intervenção Florestal entre muitos outros projectos relevantes para o desenvolvimento sustentável do concelho e da região.

Esta experiência de trabalho associativo em prol do desenvolvimento local desenvolve competências de auscultação das pessoas, de análise e de construção colectiva de propostas.

Durante o seu primeiro mandato era frequente encontrá-lo nas ruas da vila bem como nas aldeias e a percorrer as áreas florestais. Não foi um presidente encarcerado num gabinete longe dos cidadãos.

Em Oliveira de Frades fenómenos semelhante dá origem a resultados opostos. Ou seja a valorização de um ex-presidente de junta, o Paulito, é assim, com proximidade e carinho que as pessoas o tratam. Paulo Ferreira, o Paulito, liderou um processo de organização de candidaturas independentes apresentadas aos órgãos do município apresentando-se como candidato à presidência da Câmara Municipal de Oliveira de Frades. Uma vitória clara da candidatura independente, uma derrota do PSD que se apresentou em coligação com o CDS e uma derrota histórica do Partido Socialista. Também a CDU tem um resultado residual.

Em Oliveira de Frades poderá dizer-se que o povo se uniu para por fim a quase quatro décadas de poder da direita no concelho.

Terão contribuído para este resultado o desgaste de décadas de um PSD autoritário e agora com processos de investigação policial em curso mas também, e sem dúvida, as características pessoais do Paulito que conseguiu unir á volta de uma candidatura independente todas as pessoas portadoras de uma alternativa.

Outro dado a registar e que carece de interpretação é o desaparecimento do Bloco de Esquerda do mapa autárquico em Lafões. Este facto coincide com a saída de Carmo Bica da região. Carmo Bica foi há cerca de dois anos trabalhar para a Direcção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural em Lisboa e deixou, por isso o seu trabalho profissional e político em Lafões. Parece podermos inferir que se devia à iniciativa de Carmo Bica a organização das candidaturas autárquicas do Bloco nesta região.

Concelho de S. Pedro do Sul

Presidente: Vitor Figueiredo

Partidos Votos Mandatos
PS 61,01%

6.507 votos

5
PPD/PSD 33,05%

3.525 votos

2
PCP-PEV 2,42%

258 votos

Brancos e Nulos
EM BRANCO 1,71% (182 votos)
NULOS 1,81% (193 votos)

 

Votantes: 65,07%

Mandatos atribuídos: 7

Mandatos não atribuídos:0

10.665 votantes / 16.389 inscritos

 

Concelho de Vouzela

Presidente: Rui Ladeira

Partidos Votos Mandatos
PPD/PSD 62,21%

3.902 votos

4
PS 28,05%

1.759 votos

1
CDS-PP 3,46%

217 votos

PCP-PEV 1,75%

110 votos

Brancos e Nulos
EM BRANCO 2,95% (185 votos)
NULOS 1,58% (99 votos)

 

Votantes: 66,57%

Mandatos atribuídos: 5

Mandatos não atribuídos: 0

6.272 votantes / 9.421 inscritos

 

Concelho de Oliveira de Frades

Presidente: Paulo Manuel Robalo da Silva Ferreira

Partidos Votos Mandatos
NC 46,96% (2.869 votos) 3
PPD/PSD.CDS-PP 40,51% (2.475 votos) 2
PS 6,99% (427 votos)
PCP-PEV 2,67% (163 votos)
Brancos e Nulos
EM BRANCO 1,54% (94 votos)
NULOS 1,34% (82 votos)

 

Votantes: 67,31%

Mandatos atribuídos: 5

Mandatos não atribuídos: 0

6.110 votantes / 9.077 inscritos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.