Paisagem de Lafões está a mudar

Enchimento da Barragem de Ribeiradio-Ermida já chegou aos 65%

Já são visíveis as mudanças na paisagem de Lafões. A Albufeira da Barragem de Ribeiradio-Ermida já começou a encher e já atingiu a cota 98, o que corresponde a uma percentagem de enchimento de 65%. Segundo avança fonte oficial da EDP, até ao início do próximo ano a Albufeira deve atingir a sua cota máxima. A Gazeta da Beira, no passado sábado, dia 25 de outubro, percorreu o rio Vouga e registou as diferenças.

unnamed

Tudo está a mudar. Árvores, casas, praias, a ponte Luís Bandeira tudo submerso. De bem longe, conseguimos agora avistar o Vouga. Uma nova paisagem a que, quem passa, aos poucos, vai-se habituado. Muitos são os que não ficam indiferentes, como garantiram à Gazeta da Beira, habitantes da freguesia de Sejães, Oliveira de Frades, nos últimos dias são muitos os curiosos que se aventuram nas imediações da Albufeira.

A forte pluviosidade ocorrida durante o final do mês de setembro e o início de outubro provocou uma rápida subida da Albufeira, esperavam-se estas chuvas só nos meses de novembro e dezembro. Atualmente a cota está ligeiramente acima da marca 98. Até atingir a cota 110 o processo ainda é longo. A EDP acredita que no início de 2015 a Albufeira esteja completamente cheia.

Durante vários anos, a Gazeta da Beira esteve sempre atenta à construção da Barragem Ribeiradio-Ermida, uma obra que chega, agora, à reta final. Segundo avançou fonte oficial da EDP à Gazeta da Beira, o Aproveitamento da Barragem deve entra em funcionamento ainda este ano, a data contudo, ainda não está definida. Estima-se que a produção média anual de energia elétrica do Aproveitamento chegue aos 134 GWH. Uma energia capaz de satisfazer o consumo de cerca de 30 mil pessoas. Ou seja, número superior à população conjunta dos concelhos de Oliveira de Frades e Sever do Vouga.

Investigação Arqueológica foi “pouco afetada pelo enchimento”, diz EDP

sejãesAté agora, a Albufeira tem enchido mais depressa do que o previsto. A Gazeta da Beira quis saber do que forma é que este processo pode ter prejudicado a investigação arqueológica a cabo nos concelhos de Sever do Vouga Oliveira de Frades.
Como avança fonte oficial da EDP, neste momento, o estudo do sítio arqueológico do Rôdo, no concelho de Sever do Vouga, está concluído e o local está selado e submerso.

Já o sítio arqueológico da praia do Vau, no concelho de Oliveira de Frades, que, como a Gazeta da Beira já noticiou anteriormente, foi descoberto posteriormente, os trabalhos de campo ainda decorrem. A EDP garante que o processo está quase concluído e que, até agora, as investigações, que se encontram acima da cota 98, foram pouco afetadas pelo enchimento da albufeira.

Recorde-se que, numa primeira fase, os artefactos arqueológicos recolhidos serão estudados em laboratório e em gabinete e só depois serão disponibilizados para a Direção-Geral do Património Cultural.Redação Gazeta da Beira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.