Maria de Fátima Batista é a 1.ª vencedora do prémio Margarida e Jaime Gralheiro

Sampedrense terminou o secundário com 19 valores e ingressou em Medicina no Porto

Chama-se Fátima Batista, terminou o secundário com 19 valores e é a vencedora da primeira edição do Prémio Margarida e Jaime Gralheiro- Um Aplauso para a Formação e para o Conhecimento. A entrega do galardão à jovem sampedrense ocorreu no passado dia 28 de novembro, no Salão Nobre da Câmara Municipal. A iniciativa que visa promover a Escola Pública está de regresso neste ano letivo.

12277297_1003771653021922_2081540402_n

A média de 19 valores valeu a Fátima Baptista o Prémio Margarida e Jaime Gralheiro. Um apoio monetário de cerca de 1.200€ que se destina, como previsto no regulamento, ao pagamento das propinas deste ano no Ensino Superior. Na hora da homenagem a jovem agradeceu aos promotores do prémio, à família e amigos, Escola e Professores e ao Município e deixou a receita do sucesso a todos os alunos: “O segredo está em acreditar, lutar, persistir e nunca desistir”, sublinhou. Maria de Fátima destacou a importância do prémio que, como defende, é um estímulo para todos os alunos e enalteceu a obra de Jaime e Margarida Gralheiro no concelho e no país.

Família Gralheiro satisfeita com o resultado da primeira edição

“É com enorme orgulho e emoção que entregamos o prémio a uma aluna de exceção que no ano letivo 2014/2015 terminou o 12º ano com a média final de 19 valores, no Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul, fruto do seu exemplar esforço, empenho e dedicação”, referiu Manuela Gralheiro, uma das promotoras do prémio que acrescentou que um dos objetivos da iniciativa passa por valorizar “todos os que como a Fátima e as respetivas famílias, acreditam e lutam pelos seus sonhos, sem eles o mundo não pula nem avança”, destacou.

“Não poderia ter sido mais perfeita a atribuição”, sublinha José Manuel Goncalves

José Manuel Gonçalves mostrou-se satisfeito com o desfecho desta primeira edição. “Não poderia ter sido mais perfeita a atribuição”, reforçou. Para o Presidente do Júri a vencedora sempre foi uma aluna “exemplar nos resultados, na atitude, no comportamento, na participação e na cumplicidade com a escola”, destacou.

Na cerimónia, o Diretor do Agrupamento de Escolas aproveitou para recordar que outros alunos do 12.º ano conseguiram “resultados muitos elevados” na secundária de S. Pedro do Sul, frisou.

Relativamente ao prémio, José Manuel Gonçalves valorizou a iniciativa que prima pelo seu cariz “solidário e social” uma vez que, como recordou, “um dos requisitos para que os candidatos sejam elegíveis é que sejam do Escalão A da Ação Social Escolar”. O professor acrescentou que esta iniciativa é “um reconhecimento da importância do papel da Escola Pública, inclusiva para todos e que está em todas as frentes da formação e da educação, do conhecimento, das atitudes, dos valores e da cidadania”.

“Não é nada fácil ter um aluno no Ensino Superior”, sublinhou Sobrinho

Também Teresa Sobrinho mostrou-se emocionada, uma vez que, a vereadora já foi professora da aluna reconhecida. “É para mim um especial orgulho porque a Maria já foi milha aluna”. A autarca destacou alguma das qualidades da ex-aluna. “É uma aluna muito aplicada, uma pessoa muito completa” e desejou “um futuro muito risonho e muitos sucessos na sua vida académica”.

Teresa Sobrinho não deixou de valorizar a iniciativa da família Gralheiro, que vem apoiar os alunos carenciados do concelho que querem ingressar no Ensino Superior.

“Hoje em dia, não é nada fácil ter um aluno no Ensino Superior”, notou.

Recorde-se que esta é a primeira edição do Prémio Margarida e Jaime Gralheiro. A iniciativa é dos três filhos do casal, Manuela, Conceição e João Carlos Gralheiro e estará de regresso neste ano letivo. Na cerimónia, Manuela Gralheiro recordou o trabalho dos pais em prol das “causas sociais, culturais e políticas” e as lutas constantes para uma Escola Pública “de qualidade e acessível para todos, independentemente das origens socioeconómicas”.

Maria de Fátima Baptista, em perfil

Maria de Fátima Almeida Baptista é vencedora da 1ª edição do Prémio Margarida e Jaime Gralheiro: Um Aplauso para a Formação e para o Conhecimento, depois de terminar o secundário com uma média de 19 valores.

A jovem de 18 anos vive em Serrazes, freguesia onde frequentou a Escola Primária. Prosseguiu os seus estudos, no 2º e 3º ciclos, na Escola Básica e Integrada de Santa Cruz da Trapa e, depois, no ensino secundário, na Escola Secundária de S. Pedro do Sul. Atualmente, frequenta o Curso de Medicina do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, na Universidade do Porto.Redação Gazeta da Beira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.