LIFE ELCN | MONTIS integra projeto de desenvolvimento de Rede Privada Europeia de Conservação da Natureza

Utilidade do “crowdsourcing” para fins de conservação da biodiversidade é o caso português

Foi recentemente aprovado e contratualizado com a Comissão Europeia o projeto LIFE ELCN – Development of a European Private Land Conservation Network (LIFE16 PRE/DE/000005), que tem como objetivo o trabalho conjunto e em rede de entidades de diversos países da Europa no sentido de testar e avaliar a utilidade e eficácia de recorrer a novos instrumentos de gestão privada de conservação da natureza e biodiversidade.

Dando continuidade ao congresso inaugural da International Land Conservation Network – que teve lugar em Berlim no ano passado e no qual a MONTIS foi convidada a apresentar o seu trabalho – o projeto LIFE ELCN é liderado pela NABU (congénere alemã da Bird Life International) e integra parceiros espanhóis, italianos, romenos, belgas, holandeses, finlandeses e irlandeses, que se propõem a executar trabalhos complementares, numa ótica de fomentar o envolvimento de entidades privadas com a conservação da biodiversidade do espaço europeu.

Com um orçamento de cerca de 1 milhão de euros e uma duração de dois anos, o projeto é financiado a 60% pelo Programa para o Ambiente e a Ação Climática (LIFE), sendo os restantes 40% suportados pelos diversos parceiros.

No seio da parceria, e atendendo à sua experiência com o uso de crowdfunding para aquisição e gestão de propriedades na área onde iniciou a sua atividade (centro do país), a MONTIS tem a cargo um orçamento de cerca 52.500 euros destinados a ensaiar e avaliar resultados da aplicação de soluções de crowdsourcing potencialmente úteis a satisfazer necessidades de conservação. A par com outros instrumentos a ensaiar pelos parceiros – como incentivos fiscais, reservas privadas, marcas e incentivos de mercado, acordos de gestão e usufruto, planeamento colaborativo, contratos de custódia, integração da preservação de património cultural e natural e sistemas voluntários de reconhecimento público -, espera-se do trabalho realizado em Portugal e nos restantes países a identificação e disseminação de boas práticas que contribuam para alterar as políticas Europeias de conservação e facilitar a conservação, por privados, da natureza e biodiversidade.

A reunião de pré-arranque do projeto teve lugar hoje em Berlim e marcou o início dos trabalhos, que serão desenvolvidos ao longo dos próximos 2 anos, numa calendarização conjunta e integrada. Após uma fase prévia de recolha e síntese de informação, esperam-se para o início de Setembro, os primeiros trabalhos concretos da MONTIS, que incluirão a dinamização de parcerias, atividades de voluntariado, de financiamento colectivo e utilização de ferramentas de ciência cidadã para satisfazer as necessidades de conservação das propriedades que a associação já possui sob gestão, nos municípios de Vouzela, São Pedro do Sul, Arouca e Montemor-o-Novo.

A MONTIS desde já apela a todos quantos queiram colaborar com os objetivos do projeto que estabeleçam um contacto direto com a equipa técnica.

 

Para saber mais:

* sobre o projeto LIFE-ELCN: Sara Sequeira / Luis Lopes (Montisacn@gmail.com, 926277545);

* sobre a MONTIS: http://montisacn.blogspot.pt/, https://www.facebook.com/montisacn/

* sobre a International Land Conservation Network: http://www.landconservationnetwork.org/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.