Jovouga estreia peça de Teatro com casa cheia

“Uma família dos Diachos” foi de chorar a rir

Estreou no passado sábado, dia 9 de janeiro, no Centro de Artes e Espetáculos de Sever do Vouga a Peça de Teatro “Uma família dos Diachos”, produzida pela Jovouga e encenada por Pedro Giestas. Com casa cheia Paulo Cruz diz que a estreia “não podia ter corrido melhor” e faz um balanço muito positivo do projeto da Jovouga. “Nestes três anos crescemos imenso”, sublinha.

12541077_1720687548164512_944776885549336087_n

“Nada corre bem aos Figueiredo. Da fortuna da família só sobraram dívidas e os irmãos Clara e Lourenço não sabem o que fazer para continuar as suas vidas de luxo. O avô perde-se no jogo e no álcool, a avó vive num mundo paralelo que vai aos poucos enlouquecendo toda a família. Da aldeia chega a frescura de Maria do Amparo, a jovem empregada que promete verdadeiros rebuliços para toda a família. Uma dívida antiga vem assombrar a paz da família e trazer verdadeiras dores de cabeça. Sem outra solução, os Figueiredo põem o seu futuro nas mãos de uma bruxa, a famosa Ilda Pepperoni é a comandante de uma viagem entre mundos. As peripécias sucedem-se, numa comédia que o vai fazer chorar de rir!” Este é o resumo de uma história escrita por Patrícia Fernandes e encenada por Pedro Giestas que levou quem assistiu a chorar de rir.

A peça já tinha sido levada, em formato mais simples, a alguns lares da região de Lafões, no âmbito do Projeto em Rede pela Vida, mas esta foi a primeira vez para o público em geral. Paulo Cruz, Presidente da Jovouga, faz um balanço muito positivo. “Hoje, tínhamos outra responsabilidade, hoje tinha que estar tudo perfeito, nada podia falhar, era essa a nossa ambição e penso que foi concretizada. Foi muito bom subir, novamente, ao palco do CAESV que é também a nossa casa, ver a casa cheia e sentir que as pessoas valorizam e estão com este projeto”. “Uma família dos Diachos” vai continuar a rodar. “Temos ainda que apresentar a peça em outras instituições e temos outros convites que não vamos falhar”, adianta o dirigente.

Três anos sempre a crescer

O projeto de Teatro da Jovouga surgiu há três anos. Três anos em que o grupo cresceu e afirmou-se. “Sentimos uma grande evolução e sentimos, igualmente, um maior reconhecimento, extravasamos as fronteiras do concelho, foi o ano que tivemos mais espetáculos. Aprendemos muito com o Pedro Giestas, a cada sessão que trabalhávamos com ele, era notória uma evolução. Cada pormenor para ele fazia a diferencia, para nós foi uma experiência única”, resume.

 Redação Gazeta da Beira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.