João Gralheiro

"Prémio Margarida e Jaime Gralheiro, um Aplauso para a Formação e para o Conhecimento”

No passado dia 20 de junho passou um ano sobre a morte de Jaime Gralheiro.

Ele e sua mulher, Margarida Coelho Marques da Costa, pautaram a sua vida por ideais de liberdade, democracia, solidariedade e justiça social, que viram desabrochar no cravo libertador da madrugada primaveril de abril, e que em invernio cinzento novembro começaram a ver que tinha sido um sonho lindo que acabava.

Por saberem que é na cultura e no saber que estão as alavancas que poderão libertar o povo da ignorante alternância imposta pelas troicas nacionais e estrangeiras, em sucessivos pactos de agressão e de humilhação, que assumiu primordial importância nos seus combates o acesso à educação em Escola Pública de qualidade.

Em memória/homenagem ao legado por eles deixado, honrando a forma como exerceram a cidadania e, bem assim, a de todos quantos com eles estiveram nesses combates, os seus filhos, com a parceria da Câmara Municipal e do Agrupamento de Escolas, de S. Pedro do Sul, decidiram, instituir um Prémio com a denominação que dá título a este texto, como gesto simbólico de apoio solidário, não caritativo e não substitutivo das obrigações do Estado, aos alunos da Escola Secundária de S. Pedro do Sul, residentes neste Concelho, que desejem frequentar o Ensino Superior em estabelecimento Público, e que por razões socioeconómicas a isso estejam impedidos ou tenham enormes dificuldades.

Como se deixou dito na cerimónia de apresentação, Eles ensinaram-nos que está nas nossas mãos, através do voto, arma que a democracia nos dá, eleger quem promova efetivas políticas alternativas às privatizantes neoliberais, com que sucessivos governos tanto têm infernizado este martirizado povo.

Honremos esse legado e afirmemos a nossa cidadania.Redação Gazeta da Beira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.