Hospital CUF Viseu vai formar cerca de 200 alunos em Suporte Básico de Vida

Até ao final do ano lectivo 2016/2017 estão calendarizadas sete sessões de formação

Escola Secundária Alves Martins

O projeto “SBV na escola”, promovido pelo Hospital CUF Viseu e pela Academia CUF em colaboração com a Escola Secundária Alves Martins pretende formar, até junho, cerca de 200 alunos do Ensino Secundário em Suporte Básico de Vida. A primeira acção está agendada para 25 de janeiro, quarta-feira.

Segundo Vítor de Pinho Oliveira, coordenador de Anestesiologia no Hospital CUF Viseu e mentor do projecto, “esta iniciativa tem o objetivo de capacitar jovens alunos do Ensino Secundário com a competência básica de prestação de cuidados de socorro a vítimas de paragem cardiorrespiratória, contribuindo para a generalização e universalidade desta competência”.

Este reforço de competências é, de acordo com o especialista, um esforço de educação para a cidadania uma vez que “adquirir competências na correta prestação dos primeiros cuidados de reanimação, através do accionamento rápido e eficiente dos meios de socorro e o início precoce de manobras básicas de suporte de vida, é um imperativo ético de cidadania para toda a sociedade civil, independentemente da sua idade, profissão ou área de conhecimento”.

Na Escola Secundária Alves Martins, as primeiras sessões serão dirigidas a alunos do 12º anos, sendo que está previsto estender a iniciativa a outros níveis de ensino e a toda a comunidade escolar. O projeto surge no âmbito da estratégia de cooperação com a comunidade por parte do Hospital CUF Viseu, que pretende desenvolver “parcerias duradouras com diferentes instituições locais e assumir a função de agente ativo na formação, sensibilização e criação de conhecimento na área da saúde”.

Até ao final do ano lectivo 2016/2017 estão calendarizadas sete sessões de formação. Cada sessão terá 24 participantes, sendo que os formadores serão médicos da equipa de Anestesiologia e enfermeiros do Bloco Operatório do Hospital CUF Viseu com experiência em formação e/ou emergência pré-hospitalar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.