Festa Caseira em São Pedro do Sul

Festas do Concelho já arrancaram

Já arrancaram as Festas do Concelho de São Pedro do Sul. Este ano, os protagonistas são os sampedrenses. Uma festa feita com a “prata da casa” cujo orçamento ronda os 6 mil euros. As difíceis contas do Município ditaram cortes. Em 2014 não vai haver nenhum cabeça de cartaz. Uma “necessidade” que segundo Teresa Sobrinho se conjuga “ao útil e ao agradável”, já que, como acredita, é uma forma de “valorizar e divulgar aquilo que melhor temos em São Pedro do Sul”. A Gazeta da Beira esteve à conversa com a Vereadora da Cultura, que justifica a aposta; e foi à rua saber a opinião dos sampedrenses.
ed657-p11_DSCN7764“Umas festas nossas, feitas por nós e para nós”, é desta forma que Teresa Sobrinho resume como vão ser as Festas do Concelho de S. Pedro do Sul que já arrancaram no passado dia 24 de junho. Como explica em declarações à Gazeta da Beira, “Vamos apostar na prata da casa por duas razões. Em primeiro lugar, porque penso que devemos apostar naquilo que é nosso, no que temos de bom e dar a conhecer tudo aquilo que temos no nosso concelho; em segundo lugar, porque, em situações como a que estamos a passar, de grave crise financeira, não só do município, mas também das famílias, das associações, do país em geral, nos devemos apoiar uns aos outros”.
Uma forma de, como acrescenta a vereadora, “valorizar muito mais aquilo que temos no concelho e que até agora não tínhamos valorizado” e fazer evoluir os grupos, as associações e os artesanatos, já que, “se eles não se mostrarem, se eles não estiverem expostos, se não ouvirem outras opiniões como vão saber o que podem melhorar?” Pelo Palco vão passar diversos estilos musicais. Para além da animação de palco, vai haver, também, inúmeras atividades e surpresas, garante a vereadora. A entrada é livre.
Destaque, ainda, para o Dia de S. Pedro, dia 29, em que o Município vai homenagear três individualidades. António Cardoso, que vai receber a Medalha de Mérito Municipal; Pinho Bandeira que vai dar o nome à rotunda do Lidl até à rotunda da GNR; e José Barros que vai dar nome ao Balneário da Pedreira; três nomes que “ajudaram a levar o nome da nossa terra a outras paragens”. Justifica Teresa Sobrinho.

A Opinião dos Sampedrenses
VoxPop_03_JoseMatosPinto-DSCN7719José Matos Pinto
“Tudo o que for feito com a prata da casa é uma mais valia. Acredito que um artista nacional pudesse trazer mais pessoas a São Pedro do Sul, mas é verdade é que também teria outros custos… o cantor que viesse levava-nos o dinheiro todo”. É preferível que a Câmara invista em obras que valorizem a cidade e que tragam negócio para terra.”
VoxPop_01_MariaLuzAlmeida-DSCN7709Maria Luz Almeida
“Se não há dinheiro… é o que se pode fazer! Penso que nesta altura de crise, o dinheiro deve ser investido noutras áreas”.

 
VoxPop_05_JoséManuelSilva-DSCN7727José Manuel Silva
“Não é normal não haver nenhum grande nome nacional. Sem artistas não há festa… era importante para chamar as pessoas e para ser mais divertido.  Se houvesse um maior esforço da parte do Município acredito que seria possível fazer uma festa em condições”.

 
VoxPop_09_SoniaLima-DSCN7741Sónia Lima
“Penso que é positivo,  nós sabemos que a situação não é fácil e acaba por ser também uma forma de divulgar aquilo que é nosso, que  também tem valor”.

 

 

 

VoxPop_08_CarlosCosta-DSCN7738Carlos Costa
“Sempre ouvi dizer que quem não tem dinheiro, não tem vícios! Quando não se gasta dinheiro e se põe a prata da casa a trabalhar, quem anda nesta vida artística, quase por carolice, obviamente, gosta de ir para a estrada e ter oportunidade de apresentar o seu trabalho… que eu gosto de artistas com nome também gosto, agora se não há dinheiro… nada a fazer.”Redação Gazeta da Beira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.