Ester Vargas questiona Governo sobre a requalificação, mas Barreto Xavier não dá garantias

Balneário Romano discutido na Assembleia da República

A deputada do PSD eleita pelo círculo de Viseu, Ester Vargas, também deputada municipal em S. Pedro do Sul, questionou o Secretário de Estado, sobre a recuperação das Ruínas do Balneário Romano. Jorge Barreto Xavier não deu garantias da execução da obra, mas disse que o Governo está disposto a colaborar. Em cima da mesa, a possibilidade de uma candidatura ao novo quadro comunitário.

brComo a Gazeta da Beira avançou na passada edição, o Município de S. Pedro do Sul já concluiu o projeto para a requalificação do Balneário Romano, nas Termas de S. Pedro do Sul. O arranque da obra está agora nas mãos do poder central. Este que é um investimento que ronda um milhão e quinhentos mil euros.

De imediato, Ester Vargas questionou o Secretário de Estado da Cultura sobre a intenção do Governo avançar com a obra. A deputada sublinhou a importância histórica, cultural e económica deste monumento nacional, defendendo que a sua recuperação é de extrema relevância para o concelho e para a região.

Ester Vargas ressalvou, ainda, o facto de o município de S. Pedro do Sul, já ter gastado milhares de euros com o projeto e considerou que esta é uma lacuna não só para os sampedrenses, mas, também, para os milhares de pessoas que anualmente vistam as Termas.

Em resposta, Barreto Xavier não deu garantias, uma vez que o projeto, como alegou, terá que ser avaliado tecnicamente pela Direção Regional de Cultura e pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDR), em articulação com o município. Contudo, considerou ser relevante e mostrou disponibilidade para a colaboração do Governo na elaboração de uma candidatura ao Novo Quadro Comunitário de Apoio.

Victor Leal considera requalificação essencial

A Gazeta da Beira foi ouvir o administrador da Termalistur, Victor Leal, que defendeu que a Requalificação das Ruínas do Balneário Romano seria importante para a promoção turísticas das Termas de S. Pedro do Sul. Como explicou, “seria uma forma de conseguir captar mais aquistas, numa postura de conhecimento, património cultural que queremos desenvolver no concelho”.

Balneário Romano, os dados históricos

O Balneário Romano é um conjunto arqueológico que integra ruínas da ocupação romana e da piscina medieval;

Em 1938, foi classificado monumento nacional;

Documentos históricos confirmam a presença de D. Afonso Henriques no Balneário Romano para se tratar depois de ter sofrido vários ferimentos na Batalha de Badajoz;

É considerado no sistema de informação do património como um dos conjuntos romanos mais antigos e mais completos;

Funcionou interruptamente durante 2 mil anos (entre o século I e o século XIX depois de Cristo);

Há cerca de 18 anos, o edifício ruiu parcialmente, passando, por isso, a ter acesso vedado ao público;

 Redação Gazeta da Beira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.