BARÓMETRO

Seta-acima_degradeAdriana Gomes

Uma nova estrela está a nascer em Manhouce, terra de cantadeiras. Adriana Gomes, integrada no “Grupo de Cantares de Manhouce” foi a Paris (Villeneuve-le-Roi) e encantou. A interpretação a solo do tema “Ave Maria” de Bach/Gounod foi arrebatadora e fez a plateia, de muitos emigrantes lafonenses, explodir em orgulhosos aplausos. Talento já se percebeu que existe, igualmente vontade de trabalhar para progredir, mas são precisas condições para que essas duas variáveis produzam efeitos. O apoio ao Grupo e às suas vozes é determinante. Espera-se que ninguém se distraia.

 

 

Seta-acima_degradeAlafum

São já três dezenas de anos de carreira que agora se comemoram e que fazem do Alafum um dos grandes responsáveis pela preservação das tradições musicais do povo de Lafões. O “Cancioneiro Regional de Lafões”, com quase 500 músicas recolhidas em todas aldeias da região, constitui um repositório das tradições musicais que estavam em risco de se perder. José Fernando, líder do Grupo, refere-se “um espólio riquíssimo” que não se podia perder. Não se perdeu, ainda bem, mas muito pelo importantíssimo trabalho do Alafum. Parabéns!

 

 

Seta-abaixo-degradeNuno Crato

Deverá ter sido o mais caótico dos inícios de ano letivo de que há memória. Segundo os relatos na imprensa, há milhares de alunos sem aulas, há mais de três semanas, por todo o país. Diz-se que faltam ser colocados cerca de dois mil professores. Hoje mesmo (5ª feira), professores, encarregados de educação e alunos manifestam-se frente às escolas em protesto pela falta de resposta do Ministério da Educação. Com a experiência dos anos anteriores e o desaire total deste ano, terá Nuno Crato condições para preparar o próximo ano letivo?

 

 

Seta-abaixo-degradePaula Teixeira da Cruz

Mais de quarenta dias depois do bloqueio do Citius – plataforma informática de suporte aos tribunais – que resultou na paralisação quase total dos tribunais, o Ministério da Justiça garante que hoje (5ª feira) a transferência online dos processos vai estar terminada. Paula Teixeira da Cruz anunciou que vai abrir um processo de averiguações para apurar responsabilidades pelo falhanço. Porém, a primeira de todas as responsabilidades não é da própria ministra? Não devia já ter retirado as devidas consequências? Ou vai ser um subalterno a ter de “pagar as favas”?Redação Gazeta da Beira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.